terça-feira, 27 de abril de 2010

ALGO ENGRAÇADO QUE ACONTECEU COMIGO E EU PUBLIQUEI NO JORNAL

Marcelo Rudanna di Shaday para jcnorte
mostrar detalhes 07/07/09
ENCANTO CIGANO
POR MARCELO DI SHADAY

Oi, tudo bem com você? Eu, do fundo do meu coração, espero e sempre
desejo que sim! Eu estava andando pela rua, quando um bêbado me parou
e me pediu um real para tomar uma dose. Eu perguntei à ele: você não
tem vergonha não? E ele me respondeu sem timidez nenhuma: vergonha eu
tenho, mas cada um é responsável pelos seus atos! Não consegui
disfarçar meu sorriso, mas mesmo assim, tentando intimidá-lo,
perguntei à ele: quem te ensinou a falar dessa forma? E ele me
respondeu: -foi Deus, pois eu sei que ele também olha por mim. Ainda
insistindo em questioná-lo, perguntei à ele se ele achava que Deus
estava feliz com ele por ele estar bebendo em demasia, e ele me
respondeu.:- ele pode não estar feliz, mas ele manda anjos disfarçados
de diversas formas, só para não parecerem anjos. Podem ser mendigos,
bêbados, desde que não se mostrem como anjos.... Aí eu pensei comigo,
ou esse bêbado é muito esperto, ou eu que estou ficando cada vez mais
paranóico com essa idéia de mensagens do além. Não me conformando com
as respostas inteligentes de um ser embriagado, eu respondi à ele: -
um real não é muito barato por sábias palavras? E ele me respondeu: -
se eu te pedisse cinqüenta, você acreditaria? Fui um pouco mais além
dessa discussão, não me conformando com tal atitude sábia de uma
pessoa que nem agüentava parar em pé. Depois de levar uma surra em
questões de palavras, resolvi ceder e dar um real para ele, e ele me
respondeu: - pelo tempo que perdi com você, agora eu quero dois reais.
Eu não agüentei a audácia de tal bêbado, e eu respondi à ele: -pra
quê, para você ficar mais bêbado ainda ? E ele me respondeu: Não, um
real é para eu beber, o outro é para eu comprar um Jornal Costa Norte,
pra ver o que você vai escrever sobre o meu signo, e se você vai
escrever sobre mim. Pode, gente!!!! E eu tô aqui, escrevendo sobre um
bêbado que encontrei na rua, pois eu não consigo tirá-lo da cabeça,
sem saber qual realmente era a intenção dele, mas eu to aqui, fazendo
a minha parte. Ah, quanto ao dinheiro, eu dei à ele cinco reais, pois
não tinha dois reais trocado. Não estou aqui querendo incentivar tal
prática, muito pelo contrário, mas que essa foi uma questão engraçada,
e também educativa, foi. Então, tá aqui, que essa passagem seja
registrada entre inúmeras que já me acontecem em quase dez anos de
mídia. Um forte abraço, e até semana que vem, ah, se eu encontrar o
bêbado e ele me disser que leu, eu conto para vocês! Rsrsrsrsrs

Nenhum comentário:

Postar um comentário